Pesquisar:

Notícia publicada em: 28/06/2013 às: 16:12:03
Por: Fateb
Usuários e Profissionais de Informática

As últimas décadas foram marcadas pelo grande desenvolvimento tecnológico em vários segmentos. O uso dos computadores contribuiu significativamente com essa revolução tecnológica em que vivemos hoje, promovendo diversas alterações no modo de vida das pessoas. Essas transformações também proporcionaram o surgimento de novas profissões no campo da informática. Mas, nem todas as pessoas que utilizam computadores precisam ser profissionais de Tecnologia da Informação (TI). Há, também, os usuários que não necessitam ser experts em computação para fazer uso de seus recursos.

 

Um usuário é aquela pessoa que utiliza programas de computadores prontos. Esses programas podem ser dos mais diversos tipos, tais como editores de textos, planilhas eletrônicas, jogos, leitores de e-mail e browser para navegação na Internet. De forma geral, basta realizar um treinamento de curta duração (normalmente de poucos meses) para estar apto a ser um usuário comum ou, ainda, é possível ser autodidata, já que muitos programas são bastante intuitivos. Por outro lado, é preciso que existam os profissionais de TI para criar novas soluções para os usuários comuns. Para ilustrar a diferença, vamos imaginar o seguinte: qualquer usuário que tenha conhecimento básico de computadores é capaz de acessar uma loja virtual e realizar uma compra. Mas, criar uma loja virtual é uma tarefa mais complexa, pois necessita de conhecimentos específicos sobre protocolos da Internet, linguagem de programação, banco de dados, segurança, logística, etc. Assim, de uma forma genérica, o profissional de TI cria e o usuário utiliza.

 

Mas, mesmo entre os profissionais de TI, existem diferentes níveis hierárquicos. Por exemplo, um técnico em informática não necessita cursar uma faculdade para aprender a configurar computadores e montar pequenas redes. Já para se tornar um analista de sistemas, um programador, um administrador de banco de dados ou um gerente de TI, um curso superior é necessário. Para quem deseja se tornar um profissional da área, a Sociedade Brasileira de Computação (SBC) recomenda quatro opções de cursos: Sistemas de Informação, Engenharia de Computação, Ciência da Computação, além dos cursos de Tecnologia (que também são de nível superior). Existe um núcleo de disciplinas comum entre todos, mas cada curso possui um foco específico.

 

O mercado de trabalho em TI encontra-se em franca expansão e os salários são bastante atrativos para profissionais qualificados. A porta de entrada é cursar uma graduação na área. Depois é possível ainda se especializar com cursos extracurriculares, certificações e pós-graduação. Ficou interessado? Então corra para se matricular!

 

Wagner José Dizeró. Doutor em Computação pela Poli/USP. Professor e Coordenador de curso no Unilins. Diretor da Fabrasoftware. e-mail: wagner@fgestor.com.br